Secretaria de Educação de Soledade firma convênio com Ministério Público para mediação de conflitos nas escolas

O prefeito em reunião com a Promotora Ana Racquel Beltrão

Violência, agressões físicas ou verbais, atos de vandalismo ou situações preocupantes que acontecem no cotidiano da comunidade escolar levaram a Secretaria de Educação do município de Soledade a firmar convênio com o Ministério Público da Paraíba (MPPB) para reduzir conflitos e tornar o ambiente mais agradável a todos. A reunião que selou a parceria aconteceu nesta quarta-feira (17) na presença do prefeito, Geraldo Moura; da promotora de Justiça e Educação, Dra. Ana Raquel Beltrão; do presidente do Conselho Municipal de Educação, Abdias Cantalice; e da secretária de Educação, Andrea Berto.

A primeira ação do projeto é capacitar, através do curso Direitos Humanos e Práticas Restaurativas na Escola, aproximadamente 75 pessoas ligadas à educação no município que passarão a ser mediadores. A iniciativa terá início na próxima quinta-feira (25).

Segundo a secretária de Educação de Soledade, Andrea Berto, a ideia é selecionar professores, membros da equipe pedagógica, diretores, psicólogos, orientadores, supervisores, membros do Conselho Tutelar e Conselho Municipal de Educação, Guarda Municipal, Polícia Militar – pessoas ligadas ao contexto escolar – para serem treinados a fim de planejar ações voltadas à redução da violência no ambiente escolar. O projeto é capitaneado pela Promotoria de Defesa dos Direitos da Escola e a promotora de Justiça de Educação, Dra. Ana Raquel Beltrão.

“Precisamos selecionar pessoas sensíveis e que tenham jogo de cintura para mediar conflitos. No dia a dia das escolas sabemos que existe bullying, violência verbal, física, e a prática mais comum m situações mais graves, é sempre a expulsão do aluno. Isso afasta a criança da vida escolar e é prejudicial a ela. Temos que tentar outra forma. No projeto é tudo feito através d círculos de conversa”, afirmou a secretária, explicando que é preciso abrir o diálogo.

Andrea Berto disse ainda que a equipe selecionada para participar do treinamento do MPPB, também será capacitada para realizar um levantamento estatístico sobre a violência escolar e, após do curso, em posse desses dados, poderá planejar suas ações em cima deles. “Será importante abrir esse diálogo. Muitas vezes teremos que chegar também até às famílias, mas vamos trabalhar várias frentes para restaurar a tranquilidade no ambiente das escolas”, comentou a secretaria.

A capacitação terá início no dia 25 e terá uma carga horária de 40 horas divididas em 05 semanas. Será uma aula por semana, sendo esta de carga horária de 8hrs. A contrapartida da Prefeitura é estrutural. “Vamos entrar com o apoio de material e local para o curso”, adiantou a secretária, frisando que a lista de selecionados será divulgada na próxima segunda-feira (22). A seleção será feita pela equipe da Secretaria de Educação do Município, junto ao presidente do Conselho Municipal de Educação.

Com a capacitação, a tendência é que se tenha mais informações acerca do contexto de alunos e que se possa proceder da melhor forma possível, através primeiro do diálogo, em casos atos infracionais ou indisciplina por parte dos estudantes.

Educação em Soledade

No município de Soledade existem cerca de 150 professores, com formação que chega, inclusive, ao nível de Mestrado. Eles estão distribuídos em 07 escolas localizadas na zona rural e 05 na zona urbana, bem como 01 creche. A rede de educação municipal possui uma média de 2.400 alunos que vão de 02 anos até a educação de jovens e adultos (EJA).

De acordo com dados da Secretaria de Educação, o número de alunos matriculados na rede municipal dobrou na gestão do atual prefeito Geraldo Moura. Em 2017, quando Geraldo Moura assumiu, era de 1.200 alunos. Já no segundo ano de mandato, em 2018, esse número subiu para 1.600, e agora são 2.400.

A secretária de Educação de Soledade, Andrea Berto, explicou que esse aumento se deve, principalmente à estabilidade da gestão e ao retorno dos recursos federais para o município. “Perde-se muita credibilidade com esse troca, troca de gestão. Nesse processo, os recursos federais também estiveram bloqueados por falta de prestação de contas e conseguimos destravar já cerca de 80% deles”, explanou Andrea.

Ela afirmou ainda que além do aumento do número de estudantes, outros projetos estão em andamento no município. “Contratamos uma psicóloga educacional, que não se tinha. Temos também orientadora e supervisora. Em breve também teremos a nutricionista”, comentou, acrescentando que mais novidades estão vindo em relação à estrutura física da Rede.

“A climatização das escolas está acontecendo. A Escola Luiz Gonzaga Burity, que é a nossa maior escola, com 1.300 estudantes, já está com suas salas climatizadas”, citou Andrea. Ela destacou ainda que escolas na zona rural também passarão por reformas importantes. “Estamos avançando em número de estudantes; em ampliação do acesso à educação, já que na Burity colocamos do 1º ao 9º ano e EJA, e estrutura física”, comemorou a secretária, fitando o futuro.

 

COMPARTILHAR