Jovens da rede municipal de ensino de Soledade recebem orientação da Polícia para prevenção ao uso de drogas

Cerca de 80 alunos que tem numa média de 15 a 35 anos de idade, matriculados na Educação de Jovens Adultos (EJA), da Escola Municipal Professor Luiz Gonzaga Burity (EMEF), em Soledade, participaram, no último dia 24 de abril, de uma palestra da Polícia Civil para a prevenção ao uso de drogas. A partir do tema “Drogas: Um passo para a criminalidade”, o agente da PC, Martins Junior, conscientizou os estudantes para que não enveredem para esse caminho. A iniciativa faz parte de uma parceria da Prefeitura com a Polícia Civil da Paraíba e vai acontecer em outras ocasiões.

Todos os anos a escola Luiz Gonzaga Burity, que é a única da rede municipal a oferecer o Fundamental II e EJA, realiza esse tipo de palestra. A diretora da escola, Maria José Bezerra, explicou que há cerca de quatro anos a unidade vem trabalhando o tema com diversas atividades como debates, pesquisas, palestras. Ano passado, ela contou que o encerramento do projeto foi com um concurso de dissertação e cartazes sobre a temática. “Isso envolve demais os estudantes e alerta para um grave e real problema”, disse ela.

“Nossa orientadora pedagógica, Maria Neumane, dá uma força muito grande para que a escola toda se envolva na prevenção”, comentou, ressaltando que a palestra da Polícia Civil foi um evento ainda isolado, mas que já é um pontapé para as atividades do projeto desse ano. “Nós procuramos a Polícia para dar a palestra. Por enquanto, os professores estão com outros projetos, mas continuamos com o tema durante todo o ano. É importante. Os alunos ouvem e interagem”, explicou a diretora da Escola.

Segundo a Secretária da Educação de Soledade, Andrea Berto, o assunto precisa ser trabalhado porque essa é uma fase da vida em que os jovens estão descobrindo várias temáticas e a escola tem um papel importante para orientar também para as melhores escolhas e caminhos. “Essa não deixa de ser também uma ação do projeto antidrogas mantido pela Escola já há algum tempo. A ideia é evitar que nossos jovens tenham acesso ás drogas e isso estamos fazendo através da conscientização, da prevenção. Inclusive, esse projeto está conectado a outro que mantemos com o Ministério Público, Guarda-Civil, Conselho Tutelar, que é para mediação de conflitos no ambiente escolar”, comentou Andrea.

A preocupação, não só da Secretaria da Educação de Soledade, mas de todos os órgãos envolvidos nessas e outras iniciativas nas escolas, é agir para prevenir para que os jovens que ainda não tiveram o contato com a droga não se sintam tentados a experimentar. “O que se vê é um caminho sem volta. Muitos param de estudar, passam a ser viciados e, não raro, acabam trabalhando para o crime”, observou a secretária. “Não queremos isso para nossos jovens. Vislumbramos um futuro promissor para eles.”, finalizou a secretária.

COMPARTILHAR