BNB e entidades de Soledade discutem novo programa de créditos para fortalecimento da agricultura familiar

 

Entidades da agricultura familiar do município de Soledade, cariri paraibano, participaram de uma reunião na última sexta-feira (12), no Gabinete do Prefeito, com a meta de apresentar e discutir um novo programa do Banco do Nordeste denominado “Agiliza”.
Coordenado pelo agente de desenvolvimento do Banco do Nordeste do Brasil, José Vicente de Melo; o gerente do BNB Campina Grande, Bruno Cavalcante de Vasconcelos; o agente de desenvolvimento local, Lucas dos Santos Lucena; o secretário-chefe de Gabinete, João Trigueiro e o secretário de Desenvolvimento Rural e Pesca, Miranda Neto.
O encontro teve como meta detalhar o novo programa que já está sendo lançado, divulgado e em trabalho inicial em todos os municípios dos estados do Nordeste brasileiro.
“O Agiliza é o programa que vem complementar o que já vem sendo feito pelo Agroamigo, a princípio o Banco do Nordeste selecionou quatro municípios no cariri paraibano priorizando principalmente os municípios que fazem parte do Prodeter da Bovinocultura de Leite, então nós estamos nestes quatro municípios implantando esse novo modelo de atendimento como projeto piloto”, explicou José Vicente, justificando que, em seguida, o Banco vai ampliar esse modelo para todos os municípios do Estado da Paraíba.
O agente de desenvolvimento do Banco do Nordeste, José Vicente explicou que a característica do novo programa é que todas as propostas de financiamento, a partir de então, serão elaboradas pelo próprio Banco.
“Atualmente o Agroamigo atende as demandas no limite que vai até R$ 20 mil reais, então todas as propostas que surgirem daqui pra frente no limite máximo de R$ 370 mil reais, que é o limite máximo do Pronaf, serão feitos pelo próprio Banco do Nordeste, os atendimentos, os cadastros, as elaborações dos projetos”. Disse José Vicente. O mesmo afirmou que o quadro de agentes da casa de crédito e desenvolvimento já está capacitado para agilizar de forma direta.
A reunião contou com representações da Prefeitura Municipal, Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural e Pesca, EMPAER, CMDRS, STR, PATAC, Associação dos Produtores de Leite do município, dentre outros.
Na ocasião discutiram também sobre a Lei nº 14.166/21 que trata da possibilidade de enquadramento para a liquidação e renegociação de dívidas rurais em atraso que foram contratadas no BNB acima de sete anos e a intenção é efetivar um trabalho intenso para proporcionar aos clientes o processo de se normalizarem na modalidade que vai até o final desde ano 2022.
Fonte: Stúdio Rural / Programa Domingo Rural
COMPARTILHAR