Projeto ‘Conversa na Calçada’ é implantado em Soledade e  trabalha como temática inicial o ‘Setembro Amarelo’

 

            Depois de dois meses de planejamento, nesta terça-feira (17), o projeto ‘Conversa na Calçada’ começou a ser desenvolvido em Soledade. A iniciativa, capitaneada pela equipe de assistência social do município, tem como objetivo desenvolver ações, além das que já existem nas instituições que integram a Secretaria de Trabalho e Ação Social, colocando as equipes que integram os órgãos da Secretaria mais próximas da comunidade, incluindo àquelas da comunidade rural. A ideia é promover encontros semanais, em bairros e comunidades.

            A proposta, explica a secretária de Trabalho e Ação Social, Janaina Barros, foi  inserida nas atividades itinerantes do CRAS e CREAS, e visa descentralizar as ações para que elas atinjam um maior número de pessoas, sem que essas pessoas precisem, necessariamente, ir aos órgãos de apoio da Prefeitura. “Vamos levar nossas ações, palestras, trabalhar temas que sejam pertinentes a cada universo de moradores, enfim, disponibilizar as políticas públicas de assistência social onde o cidadão estiver, ou seja, vamos ao encontro da comunidade”, afirma Janaina, que diz que ficou encantada com os resultados desta primeira edição do projeto. “Saímos de lá todos muito contentes, foi uma noite memorável, de uma grande troca de energia e sentimentos bons”, destaca a secretária.

            O primeiro ‘Conversa na Calçada’ aconteceu no bairro de Chico Pereira, tendo como local a casa da Sra. Maria do Carmo Candido da Silva (Mira), que é Conselheira Tutelar e, gentilmente, colocou o espaço à disposição. A abordagem sobre o tema ‘Setembro Amarelo’ se deu em função dessa temática estar em evidência. Além da secretária Janaina, integraram a equipe da Secretaria, a secretária adjunta, Surama Garcia, a coordenadora do CRAS, Josefa Costa, o assessor jurídico, José Antônio, a coordenadora do CREAS, Maria do Socorro Fernandes, a educadora social, Edilene Lima, a assistente social, Márcia Regia, além da psicóloga do CREAS, Oona Lenice.

COMPARTILHAR